quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Tempo de Ensino

Ambos, sem tino,
um e outro covarde,
cada qual em seu lado,
travavam intensa batalha.

O corajoso menino,
alheio ao tenso alarde,
atravessou pelo gramado
com o seu chapéu de palha.

Era tempo de ensino.
À escola, já estava tarde.
Então, pensou preocupado:
Será que essa gente trabalha?

2 comentários:

  1. Inspirando sutilezas...expirando poesia... =)

    ResponderExcluir
  2. Ruth Iara curtiu isso. E imaginou o cenário com a cena do filme poético.

    Abraço.

    ResponderExcluir